Mutirão buscou conscientizar a população sobre os cuidados contra o mosquito Aedes aegypti

Profissionais de saúde e alunos das Redes Municipal e Estadual de Ensino percorreram o perímetro urbano com informações de combate ao inseto

Com o objetivo de alertar e informar a população de Capão Bonito do Sul, a Secretaria de Saúde e Assistência Social, através do Setor de Vigilância Ambiental e em parceria com a EMEF Firmino Frizzo e a EEEM Dr. Abelardo José Nácul, realizou nos dias 18 e 19 de abril o “Mutirão Comunitário contra o Aedes aegypti”. A ação, contou com a participação dos alunos, agentes comunitários de saúde e a coordenação do Fiscal Sanitário do município, Wagner Ribeiro.

Durante os dois dias, os grupos percorreram o perímetro urbano de Capão Bonito do Sul, a fim de eliminar focos – locais com água parada, do mosquito Aedes aegypti além de tentar conscientizar a população sobre a importância de manter seus pátios limpos e sem água parada. “A atividade foi realizada na maioria das casas e estabelecimentos comerciais do perímetro urbano do município, até mesmo nas residências em que o morador não se encontrava, pois o mutirão foi elaborado em conjunto com a metodologia do Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRA)”, comenta Wagner.

O Fiscal Sanitário salienta ainda, a ação foi elaborada para que a maioria das residências fossem inspecionadas, tendo em vista a importância e a necessidade de eliminar todos os possíveis focos do mosquito que vem se proliferando em todo o Estado. “Tal ação é obrigatória em todas as cidades do Rio Grande do Sul, pois preconiza que a grande parte das residências dos municípios sejam inspecionadas, com ou sem consentimento dos residentes, e, caso o dono do estabelecimento se recuse a deixar o agente de endemias entrar, o profissional poderá pedir assessoria a Brigada Militar para que consiga inspecionar o quintal de todas as casas”, explica.

Campanha permanente

O Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRA), é uma ação realizada em todo o Estado na mesma data e deve ter duração máxima de cinco dias, sendo uma atividade essencial no combate ao vetor (mosquito), que transmite Dengue, Chikungunya e Zika Vírus. Conforme manifesta o Fiscal Sanitário, as campanhas de conscientização contra o Aedes serão permanentes no município, com visitações e ações educativas tendo em vista o aumento de casos de pessoas infectadas pela dengue nas cidades da região. “Estamos saindo de uma pandemia e ao mesmo tempo precisamos entender a importância dos cuidados conta o mosquito transmissor da Dengue para que não venhamos a viver outro momento crítico de saúde pública. E para eliminar o Aedes, é necessário que cada um faça a sua parte novamente”, alerta.

Fonte: Assessoria de Comunicação de Capão Bonito do Sul