CPM da Escola Firmino Frizzo recebe verba do CTG Nenê Lima

O repasse de R$ 5 mil é para investimento na invernada de dança dos educandários, que conta com aulas através das oficinas

Instituía por Lei Municipal, uma disciplina específica sobre a cultura gaúcha é realidade nas escolas da Rede Municipal de Ensino de Capão Bonito do Sul e começou a valer nesse ano letivo. O objetivo das aulas é fortalecer e manter a tradição do Rio Grande do Sul no dia a dia dos estudantes. Com o propósito de auxiliar no andamento das atividades realizadas nos educandários, o CTG Nenê Lima realizou o repasse de R$ 5 mil ao Círculo de Pais e Mestres (CPM), das escolas municipais, em ato no Auditório Dirceu Caitano, da EMEF Firmino Frizzo, na quarta-feira (22).

A verba é oriunda dos lucros obtidos no II Rodeio Nacional, que aconteceu em abril, e deverá ser aplicada na invernada de dança dos educandários, que conta com atividades através das oficinas realizadas no contraturno das aulas. “Nossa festa tradicionalista foi um sucesso de público, e, após o balanço realizado, destinamos o valor para a invernada artística das escolas, que é um sonho da comunidade e uma das ações de fortalecimento da cultura gaúcha em nossa cidade. O recurso é direcionado para compra de pilcha para as crianças”, comentou o Patrão do CTG Nenê Lima, Fernando Avila de Melo.

O presidente do CPM da EMEF Firmino Frizzo, João Moraes, que representou os demais presidentes dos Círculos, Carlos Moraes (EMEI Pequenos Anjinhos) e Marta Xavier (EMEF Horário Severo da Costa), destacou a importância do repasse para o andamento do projeto. “Esse momento nos enche de orgulho e emoção, pois é um importante gesto por parte do CTG Nenê Lima, para darmos continuidade em nossas escolas, nos investimentos e aprimoramento das atividades que promovem nossa cultura, sejam nas ações de dança, música ou no fomento à história dos gaúchos”, salientou.

Para a vice-prefeita e secretária de Educação, Cultura, Esporte e Turismo, presente no ato, Marizete Rauta, o valor repassado vai muito além do financeiro, é o sentimento de manter viva a cultura de um povo. “Esse momento representa muito para todos nós, pois através das invernadas, conta-se a história, mantem-se viva essa tradição, e é isso que as oficinas e a disciplina instituída têm como objetivo, fazer história, fazer com que nossos alunos evoluam, trabalho realizado com muito empenho pelo CTG, de seguir trabalhando e dando mais visibilidade à cultura em nosso município e na região”, finalizou.

Fonte: Assessoria de Comunicação de Capão Bonito do Sul